Fidelis Manuel Leite Magalhães - o timorense mais jovem a ocupar uma posição de nível ministerial

 

 

Fidelis Manuel Leite Magalhães é oriundo de Maliana, capital de distrito de Bobonaro. Ele é o segundo filho de Manuel Magalhães e Regina Cardoso Gouveia Leita. Fidelis tem três irmãos e cinco irmãs. Passou a maior parte da sua infância em Maliana, onde se juntou às atividades da resistência em muita tenra idade. Aos 13 anos tornou-se um membro da Sagrada Família e iniciou a sua actividade no movimento da juventude contra a ocupação Indonésia.

Após a independência e a morte do seu pai, Fidelis abandonou a escola e começou a trabalhar para os Serviços de Refugiados dos Jesuítas como motorista para sustentar a sua família. Foi então promovido a responsável da organização, onde, sob a orientação do Padre Frank Brennan, começou a trabalhar na área dos direitos humanos.

 

Em finais de 2000, Fidelis foi nomeado como um dos responsáveis da Organização dos Direitos Humanos e Refugiados, como diretor repatriado. No início de 2001 foi escolhido para representar a sociedade civil de Timor-Leste na Sessão da ONU, em Genebra, sobre os Direitos Humanos. Foi a sua primeira experiência internacional. Segundo as suas próprias palavras, Fidelis descreveu a experiência como "surreal". Foi a sua primeira viagem internacional e foi convidado a participar numa série de reuniões, quando falava inglês apenas há um ano,aprendido de modo auto-didacta.

 

Ao longo dos anos, Fidelis continuou a desempenhar um papel activo nos esforços de paz e reconciliação.

A partir de meados de 2001 a 2002 trabalhou para várias organizações, incluindo o ACNUR, por um curto período de tempo, como porta-voz e assistente de Relações Externas. No mesmo ano, também atuou como presidente da Comissão de Juventude de Maliana, que é composta por todas as organizações de juventude do distrito.

No final de 2002 foi premiado pelo “East-West Centre” com uma bolsa de estudos, para estudar na Universidade de Hawai-Manoa. Formou-se em Ciências Políticas, com a opção de Literatura. Focou-se principalmente nas teorias políticas, sociais e literárias. Fidelis afirma que foi no “East West Center” que cresceu “academicamente”.

 

“Foi um privilégio conviver com académicos de vários países em Hale Manoa ". afirma Fidelis.

 

Tornou-se um membro ativo do Departamento Político em UH-Manoa formou-se com distinção. Ele era também um aluno brilhante nos estudos da América Latina e Literatura Ibérica.

Com a mesma disposição foi estudar na Universidade de Massachussetes-Amherst. Embora inicialmente a sua intenção fosse o de ficar, decidiu voltar para o Havai alegando um financiamento insuficiente para conseguir viver nos EUA.


Desde 2006 tem trabalhado em diferentes vertentes. Em 2007, trabalhou com a GTZ-IS como perito na participação de Timor-Leste no diálogo nacional. Em seguida, no mesmo ano, foi nomeado como chefe de Diálogo Pós-Transição, que foi financiado pela Noruega. Serviu então, como o líder de equipa, uma série de iniciativas e tornou-se o principal conselheiro para as questões de desenvolvimento e política.


Em 2008, juntamente com o bispo Gunnar Stallsett, enviado especial da Noruega para Timor Leste e membro da Comissão do Prémio Nobel, fundou a iniciativa de Diálogo de Consenso de Alto Nível de modo a " fornecer uma plataforma onde os líderes da nação podem discutir sobre as violações dos direitos humanos e encontrar formas de resolver as questões".


Alguns meses mais tarde, Fidelis recebeu uma bolsa de estudos de Chevening para estudar Política da Economia no “London School of Economics”. Após completar os seus estudos, foi premiado com uma bolsa de estudos da Gulbenkian para estudar Política de Economia Internacional, em Lisboa, Portugal. Na capital portuguesa também tirou a pós-graduação em Relações Internacionais na Escola Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP-UTL).

 

Fidelis sempre manteve o mérito de um aluno exemplar com notas excepcionais.

 

Em outubro de 2011 Fidelis regressou a Timor Leste, ao qual juntou-se à equipa de vitória do actual Presidente da República,Taur Matan Ruak (designado como a “Equipa de Sucesso”), onde na campanha presidencial foi designado como vice-presidente de Sócio-Político e Comunicação e o porta-voz do presidente.

 

Após o anúncio do resultado da eleição presidencial, foi designado pelo Presidente da República como seu representante para garantir uma transição suave no começo do novo mandato.

 

Em 20 de maio de 2012, o Presidente Taur Matan Ruak nomeou-o para ser o seu Chefe de Gabinete.

 

Deste modo, Fidelis Manuel Leite Magalhães é atualmente a pessoa mais jovem a ocupar uma posição de  alto nível no Ministério em Timor-Leste. A sua nomeação demonstra o compromisso do Presidente Taur Matan Ruak na mudança geracional e assim abrir caminho aos jovens para participarem activamente na gestão do Estado.

 

 

Edit/Trd - CC & Gina Araújo

publicado por Eskalabis às 12:50
link do post | comentar